Home > História de Francisco Badaró

História de Francisco Badaró

Fundada em 30 de dezembro de 1962, a cidade que faz parte da microrregião de Capelinha, na mesorregião do Jequitinhonha, Francisco Badaró tem um total de 459,75 km², divididos entre o distrito-sede e o distrito de Tocoiós de Minas, sendo um município da região de influência Araçuaí, fazendo divisa com os municípios de Virgem da Lapa, Araçuaí, Jenipapo de Minas, Chapada do Norte e Berilo, sendo os nascentes na cidade chamados de badarosense.

Francisco Badaró-MG

Fundada em 30 de dezembro de 1962, a cidade que faz parte da microrregião de Capelinha, na mesorregião do Jequitinhonha, Francisco Badaró tem um total de 459,75 km², divididos entre o distrito-sede e o distrito de Tocoiós de Minas, sendo um município da região de influência Araçuaí, fazendo divisa com os municípios de Virgem da Lapa, Araçuaí, Jenipapo de Minas, Chapada do Norte e Berilo, sendo os nascentes na cidade chamados de badarosense.

História de Francisco Badaró

No nordeste de Minas Gerais, a uns trinta quilômetros da confluência dos rios Araçuaí e Setúbal, que são divisores do município, encontra-se a pequena cidade de Francisco Badaró, um dos muitos lugares que surgiram em meados do século dezoito durante o ciclo da mineração. Povoados que se levantaram à margem de algum riacho, sem nenhum planejamento, tendo como meta a cata do ouro.

Antônio de Faria e Atanásio Couto, provavelmente pertencentes à Bandeira de Sebastião Leme do Prado, fundador de Minas Novas, aqui se estabeleceram, o primeiro nesta sede e o segundo, a 3 Km abaixo, na fazenda do “Engenho”, a cuja fazenda pertencia as vertentes da margem esquerda do córrego Sucuriú até acima deste local. Atanásio Couto, a fim de facilitar a lavagem do cascalho, fez construir a um quilômetro acima da cidade um açude de madeira, de onde partia um rego que, fraldeando morros, levava água até sua fazenda.

fraldeando: Andando pelas encostas

Ainda hoje se nota vestígios deste rego em alguns pontos do trajeto. Ao redor do açude fizeram-se pequenas construções de moradia, tomando-se posteriormente a popular designação de 'arraial velho'.

A fundação ficou definida quando se tratou da construção da capela, surgindo então a histórica disputa entre o Faria e o Atanásio. Este a queria no 'Engenho' e ofereceu 100$000 de auxílio; o Faria, entretanto, ofertou 200$000 para que aqui fosse edificada. Era tão valorizada a moeda naquele tempo que prevaleceu a última oferta, e onde hoje é situado o município, construiu-se a capela e se levantou o povoado.

Segundo tradição geralmente aceita, diz-se que o nome Sucuriú dado ao povoado origina-se do fato de, em um dia festivo nos primórdios do lugarejo, ter-se aparecido uma cobra sucuri vinda do rio Setúbal. Se tal tradição não fosse válida, poder-se-ia atribuir o topônimo ao próprio córrego que atravessa o município. Ao contrário de outros riachos, com pequeno percurso e giro direto, tem o Sucuriú a originalidade de percorrer aproximadamente trinta quilômetros e dar muitas voltas, assemelhando-se ao serpentear do ofídio.

Origem do Nome

O topônimo Sucuriú prevaleceu até 1948, quando, ao proceder-se à nova divisão administrativa do Estado, foi adotado novo topônimo - Francisco Badaró - em homenagem ao ilustre político de Minas Novas Dr. Francisco Coelho Duarte Badaró, que se destacou como parlamentar, jurista e diplomata.

Em 6 de agosto de 1960 chegou-se, inesperadamente, o Padre Emiliano Gomes Pereira. Natural de Itinga, ordenara-se em 1914 e em 1915 aqui passara como secretário da primeira visita pastoral do primeiro Bispo de Araçuaí, Dom Serafim Gomes Jardim. Fora para a Diocese de Ilhéus, na Bahia e por lá permaneceu por longos anos, ultimamente como vigário de Porto Seguro. Resolveu voltar para a Diocese de Araçuaí e Dom José Maria Pires o acolheu favoravelmente, designando-o vigário de Francisco Badaró.

Formação Administrativa

Septuagenário, porém lúcido e ativo, fundou um patronato de menores que muito beneficiou menores carentes, principalmente da zona rural. Muito se preocupava com a situação local, com o apoio de seu amigo e ex-colega de seminário em Diamantina, Dr. Badaró Júnior, conseguiu trazer água de 'Água Limpa' para abastecer a localidade.

Meteu-lhe na cabeça a ideia de emancipar Francisco Badaró e argumenta convincentemente. Dr. Badaró lhe deu todo apoio necessário. Na divisão administrativa de 1962 viu concretizado seu sonho. Foi sem dúvida o líder do movimento e mereceu cabalmente o título de cidadão honorário de Francisco Badaró que lhe foi conferido pelo intendente Waldemar César Santos.

Formação administrativa

Pela lei provincial nº 910, de de 14-09-1858, e por lei estadual nº 2, de 14-09-1891, é criado o distrito de Sucuriú, e anexado ao município de Minas Novas.

Pela lei estadual nº 336, de 27-12-1948, o distrito de Sucuriú passou a chamar-se Francisco Badaró.

Pela lei estadual nº 2764, de 30-12-1962, desmembra do município de Minas Novas o distrito de Francisco Badaró todos elevados à categoria de municípios.

Bandeira e Brasão

Bandeiras da cidade de Francisco Badaró, Minas Gerais, Brasil.
Brasão da cidade de Francisco Badaró, Minas Gerais, Brasil.

Geografia

População

O IBGE estima que em 2021 a cidade tenha uma população estimada em 10.311 habitantes, com a densidade demográfica em 2021 sendo de 22.43 hab./km²

Distrito Área
Francisco Badaró 390,10 km²
Tocoiós de Minas 69,65 km²
Total 459,75 km²

Aspectos Naturais

Clima: Tropical com Estação Seca

Bioma: Mata Atlântica e Cerrado

Economia

PIB per capita 6.509,59 R$ [2020]
Receitas de Fontes Externas 95,2 % [2015]
IDHM 0,622 [2010]

Educação

Escolarização de 6 a 14 anos 98,5 % [2010]
IDEB – Anos iniciais do E.F 6,4 [2021]
IDEB – Anos finais do E.F 5,3 [2021]
Matrículas no E.F 758 matrículas [2021]
Matrículas no E. Médio 259 matrículas [2021]
Docentes no E.F 70 docentes [2021]
Docentes no E. Médio 43 docentes [2021]
Escolas: E.F 14 escolas [2021]
Escolas: E. Médio 3 escolas [2021]

Cultura & Turismo

Datas Comemorativas, Festas tradicionais e Festivais

30 de Dezembro - Dia da Emancipação Política do Município

Relação de Bens Protegidos pelo Município, pela União ou pelo Estado

Igreja de N. Sra. do Rosário Pç. do Rosário s/nº
Sobrado de Farias R. Dois de Setembro s/nº - Centro
Imagem de N. Sra. da Conceição Pç. Monsenhor Bernardino s/nº - Centro - Matriz de N. Sra. da Conceição
Conj Paisag. da bacia do rio Jequitinhonha (Proteção Estadual)
Festa de Nossa Senhora do Rosário dos Homens Pretos do Sucuriú (Celebrações)
Folias de Minas (Proteção Estadual)

Esporte

Bairros, Distritos e Comunidades Rurais

Distritos de Francisco Badaró

Atualmente são apenas 2 distritos, Francisco Badaró (distrito-sede) e Tocoiós de Minas.

Francisco Badaró

O distrito-sede de Francisco Badaró tem uma área de 390,10 km², ou seja, 84.85% do território.

Tocoiós de Minas

O distrito de Tocoiós de Minas tem uma área de 69,65 km², ou seja, 15.15% do território, a lei de criação do distrito é a Lei Municipal Nº 549 de 18/10/1995.

Mapa do Distrito de Tocoiós de Minas

Comunidades Rurais

Algumas delas são:

Mapa da Cidade de Francisco Badaró

Tempo na Cidade de Francisco Badaró

Distâncias

Distância Entre Francisco Badaró e Belo Horizonte:

Distância Entre Francisco Badaró e Teófilo Otoni:

Distância Entre Francisco Badaró e Almenara:

Distância Entre Francisco Badaró e Araçuaí:

Distância Entre Francisco Badaró e Capelinha:

Distância Entre Francisco Badaró e Diamantina:

Distância Entre Francisco Badaró e Pedra Azul:

Fonte: IBGE

Fonte: Fundação João Pinheiro

Fonte: Site da Prefeitura de Francisco Badaró

Fonte: Iepha