Home > História de Minas Novas

História de Minas Novas

Fundada em 2 de outubro de 1730, a cidade que faz parte da microrregião de Capelinha, na mesorregião do Jequitinhonha, Minas Novas tem um total de 1815,93 km², divididos entre o distrito-sede e os distritos de Baixa Quente, Cruzinha, Lagoa Grande de Minas Novas e Ribeirão da Folha, sendo um município da região de influência de Arranjo Populacional de Belo Horizonte, fazendo divisa com os municípios de Capelinha, Chapada do Norte, Leme do Prado, Novo Cruzeiro, Setubinha e Turmalina, sendo os nascentes na cidade chamados de minas-novense.

Minas Novas-MG

Fundada em 2 de outubro de 1730, a cidade que faz parte da microrregião de Capelinha, na mesorregião do Jequitinhonha, Minas Novas tem um total de 1815,93 km², divididos entre o distrito-sede e os distritos de Baixa Quente, Cruzinha, Lagoa Grande de Minas Novas e Ribeirão da Folha, sendo um município da região de influência de Arranjo Populacional de Belo Horizonte, fazendo divisa com os municípios de Capelinha, Chapada do Norte, Leme do Prado, Novo Cruzeiro, Setubinha e Turmalina, sendo os nascentes na cidade chamados de minas-novense.

História de Minas Novas

Por volta de 1727, um grupo de bandeirantes, chefiados por Sebastião Leme do Prado. Localizaram a ocorrência de ouro em um dos afluentes do Rio Fanado que, por essa razão, recebeu o nome de Bom Sucesso. A notícia de grandes jazidas atraiu os faiscadores. Entre o Rio Fanado e o seu afluente Bom Sucesso, formou-se o primeiro núcleo populacional, em torno de uma capelinha, erigida em homenagem a São Pedro. Assim nasceu o Arraial de São Pedro do Fanado, que rapidamente prosperou, recebendo, dois anos depois, o título de Vila do Bom Sucesso do Fanado de Minas Novas.

Sebastião Leme do Prado estava comissionado pelo Governador de Minas Gerais como guarda-mor das terras minerais que foram descobertas. Entretanto, seguindo orientação de seus primos, Domingos e Francisco Dias do Prado, líderes em Itacambira, preferiu comunicar a descoberta do Bom Sucesso ao Governador da Bahia, embora as divisas entre essa Província e a de Minas Gerais já estivessem definidas pelo Rio Verde, desde as nascentes até a foz.

Assim que o Governador da Bahia e Vice-Rei do Brasil receberam o manifesto, apoderou-se das terras e comunicou sua atitude ao Rei, que mandou estabelecer uma intendência na região onde o ouro era quintado.

A rápida prosperidade de Minas Novas provocou protestos da população, que passou a exigir uma justiça mais próxima. Reconhecendo a procedência das reclamações, o Conselho Ultramarino, em 1730, sujeitou a Vila de Nossa Senhora do Bom Sucesso de Minas Novas à comarca do Serro, que passou à vinculação jurídica de Minas Gerais permanecendo, entretanto, subordinada à Bahia nos planos administrativo, militar e eclesiástico. Com a criação da comarca de Jacobina, no sul da Bahia, Minas Novas ficou temporariamente sob sua jurisdição.

Gomes Freire de Andrade representou, então ao Governo Real contra o ato de transferência alegando, entre outras razões, a existência do garimpo clandestino de diamantes e os descaminhos deles e do ouro, já que o Intendente Geral, residindo no Tijuco, quase não tinha meios de reprimir os abusos. Suas decisões, para receberem o beneplácito do Governo da Bahia, tinham de percorrer duzentos léguas de distância (965,606 km), ao passo que as autoridades de Serro estavam a menos de quarenta léguas do local.

Acrescia, ainda, a circunstância de o distrito diamantino estar localizado, parte em território baiano e parte no mineiro. As justificativas do Governador, aliadas à conveniência de se alargar o âmbito de Minas Gerais, para os efeitos da derrama, concorreram para a Resolução Ultramarina, que mandou incorporar o território de Minas Novas à comarca do Serro e ao Governo da Capitania de Minas Gerais.

O período de prosperidade foi relativamente curto. À medida que se esgotavam as reservas auríferas e de pedras preciosas, operou-se um gradativo esvaziamento populacional. Os habitantes passaram a ocupar-se, então, da lavoura de subsistência e da criação de gado.

Dispondo de terras propícias à cultura do algodão, a antiga Vila do Fanado se converteu, em fins do Século XVIII e início do XIX, em centro de exportação de algodão em rama, de cobertores e de outras confecções de tecidos grossos. Entretanto, não só o algodão era de boa qualidade. A seda que se produzia, longa e macia, era apreciada nos grandes mercados europeus, segundo afirma Saint-Hilaire, que visitou a Vila em 1817.

Tendo em vista o surto de progresso da região e as dificuldades administrativas daquele vasto interior, em 1856 foi proposta ao parlamento do Império a instituição da província autônoma de Minas Novas, elevando-se a cidade à categoria de capital. A nova província abrangeria a comarca mineira de Jequitinhonha e as comarcas baianas de Porto Seguro e de Caravelas. Não chegou, entretanto, a ser instituída.

A construção da Estrada de Ferro Bahia-Minas Gerais, no final do Século XIX, trouxe uma nova alternativa de crescimento. Como o ramal Filadélfia-Minas Novas não foi executado, a região ficou na dependência das estações de Teófilo Otoni e de Diamantina (Estrada de Ferro Central do Brasil) para escoar seus produtos agropecuários, entre os quais se destacavam os de origem bovina, o açúcar, o algodão, o toucinho e a aguardente.

Formação Administrativa

Formação administrativa

Distrito criado com a denominação de Nossa Senhora do Bom Sucesso das Minas do Fanado, por Alvará de 1728.

Elevado à categoria de município com a denominação de Bom Sucesso das Minas do Fanado na Capitania da Bahia em 02-10-1730. Instalado em 02-10-1730. Incorporada à Comarca de Serro em 10-05-1757.

Elevado à condição de cidade com a denominação de Minas Novas, pela lei provincial nº 163, de 09-03-1840.

Pela lei provincial nº 184, de de 03-04-1840, e por lei estadual nº 2, de 14-09-1891, é criado o distrito de Nossa Senhora da Piedade, e anexado ao município de Minas Novas.

Pela lei provincial nº 472, de 31-05-1850, e pela lei estadual nº 2, de 14-09-1891, é criado o distrito de Chapada de, anexado ao município de Minas Novas.

Pela lei provincial nº 910, de de 14-09-1858, e por lei estadual nº 2, de 14-09-1891, é criado o distrito de Sucuriú, e anexado ao município de Minas Novas.

Pela lei nº 1163, de 16-09-1870, o distrito de Nossa Senhora da Conceição de Água Suja é anexado ao município de Minas Novas.

Pela lei provincial nº 2145, de 29-10-1875, e pela lei estadual nº 2, de 14-09-1891, é criado o distrito de Veredinha, e anexado ao município de Minas Novas.

Pela lei nº 2419, de 05-11-1877, o distrito de Nossa Senhora da Conceição de Água Suja passou a chamar-se Água Limpa.

Pela lei nº 2911, de 25-09-1882, e pela lei estadual nº 2, de 14-09-1891, é criado o distrito de Caiçara, e anexado ao município de Minas Novas.

Em divisão administrativa referente ao ano de 1911, o município é constituído de 7 distritos: Água Limpa ex-Água Suja, Chapada, Caiçara, Piedade, ex-Nossa Senhora da Piedade, Sucuriú e Veredinha.

Pela lei estadual nº 843, de 07-09-1923, os distritos de Piedade passaram a denominar-se Turmalina e Água Limpa a chamar-se Berilo.

Nossa Senhora do Bom Sucesso das Minas do Fanado para simplesmente Minas Novas alterado, pela lei provincial nº 163, de 09-03-1940.

Pelo decreto estadual nº 1058, de 31-12-1943, o distrito de Caiçara passou a denominar-se Caçaratiba.

Pela lei estadual nº 336, de 27-12-1948, desmembra do município de Minas Novas, os distritos de Turmalina, Caçaritaba e Veredinha, para formar o novo município de Turmalina sob mesma lei o distrito de Sucuriú passou a chamar-se Francisco Badaró.

Pela lei estadual nº 1039, os 12-12-1953, é criado o distrito de Leme do Prado, ex-povoado de Gomes, e anexado ao município de Minas Novas.

Pela lei estadual nº 2764, de 30-12-1962, desmembra do município de Minas Novas os distritos de Berilo, Chapada do Norte ex-Chapada e Francisco Badaró todos elevados à categoria de municípios.

Pela lei estadual nº 12030, de 21-12-1995, desmembra do município de Minas Novas o distrito de Leme do Prado, elevado à categoria de município.

Pela Lei Municipal Nº1.297 de 14/8/2002 é criado o distrito de Cruzinha, Lagoa Grande de Minas Novas, Baixa Quente e Ribeirão da Folha

Bandeira e Brasão

Bandeiras da cidade de Minas Novas, Minas Gerais, Brasil.
Brasão da cidade de Minas Novas, Minas Gerais, Brasil.

Geografia

População

O IBGE estima que em 2021 a cidade tenha uma população estimada em 31.509 habitantes, com a densidade demográfica em 2021 sendo de 17.35 hab./km²

Distrito Área
Minas Novas 487,58 km²
Baixa Quente 196,12 km²
Cruzinha 217,00 km²
Lagoa Grande de Minas Novas 452,17 km²
Ribeirão da Folha 463,06 km²
Total 1815,93 km²

Aspectos Naturais

Clima: Tropical Quente Semiúmido

Bioma: Cerrado

Economia

PIB per capita 10.615,24 R$ [2020]
Receitas de Fontes Externas 86,4 % [2015]
IDHM 0,633 [2010]

Educação

Escolarização de 6 a 14 anos 97,1 % [2010]
IDEB – Anos iniciais do E.F 6,0 [2021]
IDEB – Anos finais do E.F 5,2 [2021]
Matrículas no E.F 3.398 matrículas [2021]
Matrículas no E. Médio 1.307 matrículas [2021]
Docentes no E.F 305 docentes [2021]
Docentes no E. Médio 133 docentes [2021]
Escolas: E.F 40 escolas [2021]
Escolas: E. Médio 9 escolas [2021]

Cultura & Turismo

Datas Comemorativas, Festas tradicionais e Festivais

2 de Outubro - Dia da Emancipação Política do Município

Relação de Bens Protegidos pelo Município, pela União ou pelo Estado

Casarão do Inconfidente Domingos de Abreu Vieira Pç. Dr. Badaró nº 112 - centro
Igreja N. Sra. Rosário Av. Waldemar César Santos - centro
Sobrado à Praça Sebastião Leme do Prado nº 15 Pç. Sebastião Leme do Prado nº 15
Sobrado à R. São José nº 36 R. São José nº 36
Sobrado de Dário Magalhães R. São José nº 35
Solar da Tia Auta R. São José nº 07
Capela de São Gonçalo
Igreja de São José
Igreja Matriz de São Francisco de Assis
Sobradão à av. Getúlio Vargas Av. Getúlio Vargas
Imagem N. Sra. Rosário Av. Waldemar César Santos Ig. de N. Sra. do Rosário
Conj Paisag. da bacia do rio Jequitinhonha (Proteção Estadual)
Festa de Nossa Senhora do Rosário dos Homens Pretos
Arte em Barro do Jequitinhonha (Proteção Estadual)
Roda de Capoeira e/ou Ofício de Mestre da Capoeira (Proteção Federal)
Folias de Minas (Proteção Estadual)
Violas de Minas (Proteção Estadual)

Esporte

Bairros, Distritos e Comunidades Rurais

Distritos de Minas Novas

Atualmente são 5 distritos, Minas Novas (distrito-sede), Baixa Quente, Cruzinha, Lagoa Grande de Minas Novas e Ribeirão da Folha.

1. Minas Novas

O distrito-sede de Minas Novas tem uma área de 487,58 km² dos 1815,93 km², ou seja, 26.85% do território.

2. Baixa Quente

O distrito de Baixa Quente tem uma área de 196,12 km², ou seja, 10.80% do território, a lei de criação do distrito é a Lei Municipal Nº1.297 de 14/8/2002.

Mapa do Distrito de Baixa Quente

3. Cruzinha

O distrito de Cruzinha tem uma área de 217,00 km², ou seja, 11.95% do território, a lei de criação do distrito é a Lei Municipal Nº1.297 de 14/8/2002.

Mapa do Distrito de Cruzinha

4. Lagoa Grande de Minas Novas

O distrito de Lagoa Grande de Minas Novas tem uma área de 452,17 km², ou seja, 24.90% do território, a lei de criação do distrito é a Lei Municipal Nº1.297 de 14/8/2002.

Mapa do Distrito de Lagoa Grande de Minas Novas

5. Ribeirão da Folha

O distrito de Ribeirão da Folha tem uma área de 463,06 km², ou seja, 25.50% do território, a lei de criação do distrito é a Lei Municipal Nº1.297 de 14/8/2002.

Mapa do Distrito de Ribeirão da Folha

Comunidades Rurais

Algumas delas são:

Mapa da Cidade de Minas Novas

Tempo na Cidade de Minas Novas

Distâncias

Distância Entre Minas Novas e Belo Horizonte:

Distância Entre Minas Novas e Teófilo Otoni:

Distância Entre Minas Novas e Almenara:

Distância Entre Minas Novas e Araçuaí:

Distância Entre Minas Novas e Capelinha:

Distância Entre Minas Novas e Diamantina:

Distância Entre Minas Novas e Pedra Azul:

Fonte: IBGE

Fonte: Fundação João Pinheiro

Fonte: Site da Prefeitura de Minas Novas

Fonte: Iepha