História de Lontra

Fundada em , a cidade que faz parte da microrregião de Montes Claros, na mesorregião do Norte de Minas, Lontra tem um total de 257.52 km², com uma população de 8790 habitantes, divididos entre o distrito-sede, e o distrito de Umbuzeiro, sendo um município região de influência de Montes Claros - Capital Regional B (2B), fazendo divisa com os municípios de , sendo os nascentes na cidade chamados de lontrense.

Lontra-MG

Fundada em , a cidade que faz parte da microrregião de Montes Claros, na mesorregião do Vale do Rio Doce, Lontra tem um total de 257.52 km², com uma população de 8790 habitantes, divididos entre o distrito-sede, e o distrito de Umbuzeiro, sendo um município região de influência de Montes Claros - Capital Regional B (2B), fazendo divisa com os municípios de , sendo os nascentes na cidade chamados de lontrense.

História de Lontra

Lontra tem sua história ligada aos tropeiros e boiadeiros que trafegavam em trilhas improvisadas, chamadas Estradas de Boi, com destino a Montes Claros, Januária e outras cidades circunvizinhas que serviam também de trilhas históricas dos personagens do Grande Sertão Veredas de Guimarães Rosa. Um pequeno animal que vivia nas proximidades de uma lagoa da região deu o nome ao município.

O processo de ocupação e povoamento da Região teve seus primeiros passos a partir de 1553 nas primeiras incursões ao interior do país através das Bandeiras Baianas. O território que hoje é o Norte de Minas foi palco das primeiras incursões ao interior do país. As expedições de Expinosa-Navarro,em 1553, partindo de Porto Seguro (BA) percorreram toda a região, chegando até o Rio São Francisco de onde retornou.

No entanto foi durante a segunda metade do Séc. XVII que ocorreu uma efetiva ocupação através das bandeiras paulistas que fundaram as primeiras povoações na região e da extensiva criação do gado ao longo do Rio São Francisco. Apesar dessa precoce presença do português, a ocupação efetiva da região só se deu na segunda metade do século XVII, quando aqui se encontraram as correntes de povoamento vindas pelo norte, fruto da expansão dos currais de gado ao longo do Rio São Francisco e, pelo sul, das bandeiras paulistas.

O município de Lontra localiza-se a margem direita do Rio São Francisco. “Essa área no Período Colonial pertencia a Capitania da Bahia e eram habitadas pelos índios Tapuias, enquanto a margem esquerda do rio pertencia a Capitania de Pernambuco e era habitada pelos Caipós”. Lontra iniciou-se seu processo de povoamento as margens da Lagoa do município por volta do ano de 1920.

O local contém um manancial de águas pura e cristalina que proporcionava um excelente local de descanso aos tropeiros e viajantes que legitimava a rota comercial entre as cidades de Januária a Montes Claros e outras regiões circunvizinhas.

O processo de povoamento do município esta ligada à questão religiosa que é marcante no município. Conforme certidão lavrada pelo Juiz de Direito da comarca de São Francisco, no dia 27 de maio de 1928 o fazendeiro Venâncio Aquino doou para a ordem de Nossa Senhora do Perpetuo Socorro o equivalente a 10 alqueires de Terras destinados à formação do povoado e ainda hoje a maioria das terras do município pertence a esta ordem religiosa.

Os primeiros moradores foram: Agostinho Manuel Gusmão, Zeferino Antunes, Dona Celestina, Dona Cândida, Valdemar Porcino, Manoel Capivara, Joaquim Elesbão, Januário Veloso, Vicente Rodrigues, Martinho Berto, Mario Gandra, Pedro Barrocão Jose Pereira de Souza, Venâncio Aquino, Luiz Porto, Marcionilio Dias, Maria Pinto, Veríssimo Antunes e Sebastião Taiada. Maioria homenageada com nomes de Ruas e Praças.

Com o poder da fé, construíram uma Capela, que ficava localizada na atual Praça Januário Veloso, bem como uma escola, e um cemitério. Sua cultura é marcada pela influência do rio São Francisco, expressando-se através da música sertaneja e regional, do artesanato de cerâmica, da produção de contistas, trovadores e poetas.

Com a emancipação de São João da Ponte em 27 de maio de 1930, Lontra passou a pertencer ao novo município e foi elevada a condição de Vila do Distrito de Santo Antônio da Boa Vista. Em 1953 Lontra foi elevada à condição de Distrito, por esse fator ficou fazendo parte de sua jurisdição o povoado de Umbuzeiro. Naquele tempo Lontra era um povoado do distrito de São João da Ponte, por isso todos os impostos eram pagos naquele município e o povo fazia esse percurso normalmente no lombo de animais ou a pé.

Como as terras eram doadas para a Santa (patrimônio da igreja) as pessoas iam se instalando no povoado. Essas pessoas chegavam com esperança de uma vida nova, uma vida melhor. O terreno era doado, embora para se instalar corretamente o proprietário ou morador teria que registrar essas terras com o Bispo e posteriormente documentá-las no cartório.

Origem do Nome

A origem do nome do município ocorreu em virtude da existência do animal chamado “Lontra” um mamífero da classe (Lutrinae) pertencente à ordem carnívora e a família dos mustelídeos. Atualmente esta na lista de animais ameaçados de extinção devido à caça predatória ao longo do tempo. Este animal habitava na Lagoa do município e em córregos vizinhos.

Formação administrativa

Lontra foi elevada à condição de vila do Distrito de Santo Antonio da Boa Vista subordinado ao município de Santana de Contendas, atual Brasília de Minas. Com a emancipação de São João da Ponte instituída pelo Decreto-Lei-Estadual nº. 1.058 de dezembro de 1943.

Pela Lei Estadual Nº 1.039 de 12/12/1953 Lontra foi elevada à condição de Distrito, por esse fator ficou fazendo parte de sua jurisdição o povoado de Umbuzeiro.

Pela Lei Estadual Nº 6.769 de 13/5/1976 Umbuzeiro se tornou distrito.

Em 1992 Lontra de separa de São João da Ponte, criando um novo município, levando consigo o distrito de Umbuzeiro.

Bandeira e Brasão

Bandeiras da cidade de Lontra, Minas Gerais, Brasil.
Brasão da cidade de Lontra, Minas Gerais, Brasil.

Geografia

População

População [2022]: 8790 (IBGE)

Densidade Demográfica [2021]: 34.13 hab./km² (IBGE)

Território

Área Total: 257.52 km² (FJP)

Área Urbanizada [2019]: 1.84 km² (IBGE)

Divisas:

Distrito Área Total
Lontra 138.85 km² 53.92 %
Umbuzeiro 118.67 km² 46.08 %
Total 257.52 km²

Aspectos Naturais

Clima:

Índice Médio Pluviométrico Anual:

Hidrografia:

Bioma: Cerrado

Vegetação:

Fauna:

Relevo:

Altitude: Máxima:

Economia

A economia do município sempre foi baseada nas atividades agropecuárias e extrativistas. Após a emancipação política administrativa, o comércio e as prestações de serviços vêm se tornando principal atividade econômica. A estrutura fundiária de Lontra e caracterizada por pequenas e médias propriedades rurais, totalizando 95% e somente 5% possui status de propriedade grande.

“Nas atividades agrícolas sobressai a agricultura de subsistência predominando as culturas de arroz, milho, feijão, mandioca, cana-de-açúcar, frutas e verduras de fácil adaptação climática local. No extrativismo o pequi e um produto de suma importância para economia local.

O pequizeiro foi considerado a arvore símbolo de Minas Gerais em pesquisa recente realizada no Estado, o clima e o solo do município de Lontra dão condições favoráveis ao cultivo do produto que gera renda para o município durante uma determinada época do ano.

Entre outros destaca se a extração da “Favela”, ou Fava Danta usada para fins farmacêuticos; o buritizeiro espécie típica do cerrado usado para fazerem doces; o umbu e a pana. A pecuária do município é destinada produção leiteira e rebanho de corte. O leite é o principal produto que e é usado para fabricação artesanal de queijo e requeijões que são vendidos em varias regiões do Estado e principalmente em São Paulo.

Visando melhorias na região, várias instituições governamentais têm trabalhado a fim de prestar serviços de assistência técnica e planejamento monitoramento ambiental, projetos agrícolas financiamentos e saúde da população:

A Receita Tributaria Municipal Própria é a base de sustentação administrativa do município, são elas: IPTU, ISSQN, ITBI, ICMS, FPM, IR e o IPI. Em Lontra, assim como na maioria dos pequenos municípios, essas receitas são insuficientes para as despesas com os serviços básicos de saúde, transporte, educação e obras públicas, segundo dados TCU (Tribunal de Contas da União).

Agropecuária:

Extrativismo:

Indústria:

Comércio e Serviços:

Impostômetro | Arrecadação de Impostos 2019 a 2022:

2019: 2020: 2021: 2022:

Mais Dados:

PIB per capita [2020] R$
Receitas de Fontes Externas [2015] %
Salário médio mensal dos trabalhadores formais [2021] 1,7 salários mínimos
Pessoal Ocupado [2021] 9.944 pessoas
População Ocupada [2021] 19,68%
Mortalidade Infantil [2020] 4,84 óbitos por mil nascidos vivos
Internações por diarreia [2016] 1,1 internações por mil habitantes

Educação

Escolas Estaduais:

Escolas Municipal:

Escolarização de 6 a 14 anos [2010]
IDEB – Anos iniciais do E.F [2021]
IDEB – Anos finais do E.F [2021]
Matrículas no E.F [2021]
Matrículas no E. Médio [2021]
Docentes no E.F [2021]
Docentes no E. Médio [2021]
Escolas: E.F [2021]
Escolas: E. Médio [2021]

Cultura

Datas comemorativas

Dezembro - Dia da Emancipação Política do Município

Relação de Bens Protegidos pelo Município, pela União ou pelo Estado

Folias de Minas (Proteção Estadual)
Violas de Minas (Proteção Estadual)

Patrimônio Cultural

Turismo

Turismo Histórico-Cultural:

Ecoturismo:

Turismo Rural:

Turismo de Esportes:

Turismo de Negócios:

Turismo Gastronômico:

Turismo Religioso:

Esporte

Futebol: Campeonato Municipal

Futsal:

Ciclismo:

Atletismo:

Esportes Radicais:

Bairros, Distritos e Comunidades Rurais

Distritos de Lontra

Atualmente são distritos, Lontra (distrito-sede) e Umbuzeiro.

1. Lontra

O distrito-sede de Lontra tem uma área de 138.85 km² dos 257.52 km², ou seja, 53.92% do território.

Mapa do Distrito de Lontra

2. Umbuzeiro

O distrito de Umbuzeiro tem uma área de 118.67 km², ou seja, 46.08% do território, a lei de criação do distrito é a Lei Estadual Nº 6.769 de 13/5/1976.

Mapa do Distrito de Umbuzeiro

Comunidades Rurais

Atualmente Lontra conta com 18 comunidades: Barreirinho, Brejão, Buritizinho, Extrema, Flores, Gangorra, Lagoa, Novo Horizonte, Palmital, Poção, Roçadinho, Santo Antônio, São José, Sussuapara, Tabocas, Tauá, Vila União e Distrito de Umbuzeiro.

Comunidades Quilombolas

Mapa da Cidade de Lontra

Tempo na Cidade de Lontra

Fontes:

IBGE, Fundação João Pinheiro, Site da Prefeitura de Lontra, Iepha, Cefedes, Wikipédia, Minas, Emater.