Home > História de Felisburgo

História de Felisburgo

Fundada em 1 de março de 1963, a cidade que faz parte da microrregião de Almenara, na mesorregião do Jequitinhonha, Felisburgo tem um total de 596,52 km², sendo um município da região de influência Almenara, fazendo divisa com os municípios de Bertópolis, Jequitinhonha, Joaíma, Rio do Prado, Santa Helena de Minas, Fronteira dos Vales, sendo os nascentes na cidade chamados de felisburguense.

Felisburgo-MG

Fundada em 1 de março de 1963, a cidade que faz parte da microrregião de Almenara, na mesorregião do Jequitinhonha, Felisburgo tem um total de 596,52 km², sendo um município da região de influência Almenara, fazendo divisa com os municípios de Bertópolis, Jequitinhonha, Joaíma, Rio do Prado, Santa Helena de Minas, Fronteira dos Vales, sendo os nascentes na cidade chamados de felisburguense.

História de Felisburgo

As terras que compõem o atual Município de Felisburgo, até as primeiras décadas dos anos de 1.800, integravam os vastos territórios dos implacáveis índios boruns. Boruns: palavra indígena que significa “homens verdadeiros”, ou “botocudos”. (tipo de rolha utilizada em Portugal para tampar barril de cachaça). No início do século XIX aumentaram os desencontros entre os índios e os brancos que viviam no baixo Jequitinhonha. Estes índios eram acusados de beber o sangue dos portugueses e comer-lhes a carne. Tais reclamações, somadas aos interesses econômicos fez com que a Metrópole decretasse guerra oficial aos índios, “até que o último botocudo seja morto”. E assim se fez! Os indígenas botocudos foram durante muito tempo caçados até que desapareceram. Todos foram mortos…

Entre os anos de 1862 a 1.869, foi criado um foco de resistência quilombola, o Paraguai, por Manoel Antônio de Matos, advindo do quilombo Mumbuca, sediado no município de Jequitinhonha-MG. As famílias Matos, Marques e Vaz são oficialmente as fundadoras do Paraguai. Todas provenientes do Serro e de Diamantina. Todas fugitivas, pois eram escravas. A região do quilombo recebeu o nome de Paraguai depois de uma grande caçada aos macacos que povoavam as matas fechadas da localidade e que eram acusados de causarem prejuízos às lavouras. Naquela caçada foram mortos, aproximadamente, 200 primatas.

“É a guerra! A Guerra do Paraguai!” – gritou um dos caçadores.

Daquele dia em diante, o quilombo se tornou Paraguai.

O Alferes Prudenciano José Ferreira Souto tido como fundador do Comercinho do Rubim ou Rubim de José Ferreira, atual Felisburgo, chegou à região dos botocudos e do quilombo Paraguai no ano de 1871, enviado pela Sátima Divisão Militar, com a finalidade de pacificar os constantes conflitos entre indígenas e sertanejos pela posse das terras. Mas, acometido pela malária, José Ferreira foi levado primeiro a Governador Valadares, onde faleceu, e depois, ao Rio de Janeiro, sua terra natal, para ser sepultado.

Em 1902, o precursor Manoel Albino iniciou a construção de uma capela em louvor a São Sebastião, onde atualmente localiza-se a Praça Tranquilino Pinto Coelho,oficializando desta forma, a fundação do povoado. No ano de 1.903 foi celebrada a primeira Missa no povoado, pelo Frei Emereciano, pároco de São Miguel do Jequitinhonha, atual cidade de Jequitinhonha. E entre 1910 a 1911 foi inaugurado o oratório de Nossa Senhora do Rosário, onde atualmente encontra-se construída a Escola Municipal Euplínia Magalhães Barbosa.

Dentre os principais pioneiros destacamos o diamantinense João Baptista Brazil Lopes de Figueiredo que ainda jovem chegou à região e fixou morada na “Fazenda Ramayana”. Em 1918, Baptista Brazil, encaminhou a Olinto Martins da Silva, então Presidente da Câmara Municipal de Jequitinhonha, a solicitação para mudança do nome do povoado para Felisburgo. O topônimo Felisburgo é o resultado da fusão de duas palavras oriundas do latim: felix e burgo.

Felix = feliz e burgo = cidade.

Felisburgo significa “feliz cidade”.

Literalmente: FELICIDADE.

Em 1948, quando Joaíma elevou-se a Município, automaticamente, Felisburgo passou a ser um dos seus distritos. Enquanto Distrito de Joaíma, entre 1954 e 1956, foi construída a igreja de N.Sra do Rosário, substituindo a precursora capela de São Sebastião. Foram Criadas as Escolas Reunidas (1.958) e o Social Ilusão Clube (1.960). Estas instituições muito contribuíram para o desenvolvimento educacional e cultural do distrito. Em 1º de Março de 1963, Felisburgo deixa a condição de distrito e passa a ser Município. Chega assim, a Emancipação político-administrativa.

Origem do Nome

Foi dado então o seu primeiro nome: 'Rubim de José Ferreira'. Nome este que teve sua origem, por estar o povoado situado às margens dos ribeirões Rubim e José Ferreira (este nome foi escolhido pelo primeiro morador da região). Mais tarde, com a chegada de João Batista Lopes de Figueiredo, homem culto e progressista e, já elevado à categoria de Distrito pertencente ao município de Joaíma, passou-se a chamar 'Felisburgo', nome idealizado pelo poeta João Batista Lopes de Figueiredo, que considerava os moradores daquelas terras um povo feliz, origem latina do nome. Seu gentílico é felisburguense.

Formação administrativa

1923

Pela Lei Estadual n.º 843, de 07-09-1923, o município de Vila Jequitinhonha tomou o nome de Jequitinhonha, foi criado o distrito de Pedra Grande, Felisburgo e Rubim (este último com terras de São João da Vigia).

1948

Em 27/12/1948, através da Lei nº 336, Bonfim de Joahima se emancipa, criando o município de Joaíma, em homenagem ao chefe indígena Joahima, levando consigo o distrito de Felisburgo.

Em 1º de Março de 1963, Felisburgo deixa a condição de distrito e passa a ser Município. Chega assim, a Emancipação político-administrativa.

Bandeira e Brasão

Bandeiras da cidade de Felisburgo, Minas Gerais, Brasil.
Brasão da cidade de Felisburgo, Minas Gerais, Brasil.

Geografia

População

O IBGE estima que em 2021 a cidade tenha uma população estimada em 7.548 habitantes, com a densidade demográfica em 2021 sendo de 12.65 hab./km²

Aspectos naturais

Clima: semiárido

Bioma: Mata Atlântica

Economia

PIB per capita R$ 9.161,66 [2020]
Receitas de fontes externas 88,4% [2015]
IDHM 0,583 [2010]

Educação

Escolarização de 6 a 14 anos 96 % [2010]
IDEB 4,4 [2021]
Matrículas no ensino fundamental 901 matrículas [2021]
Matrículas no ensino médio 229 matrículas [2021]
Docentes no ensino fundamental 57 docentes [2021]
Docentes no ensino médio 20 docentes [2021]
Número de estabelecimentos de ensino fundamental 7 escolas [2021]
Número de estabelecimentos de ensino médio 1 escolas [2021]

Cultura & Turismo

Datas Comemorativas, Festas tradicionais e Festivais

1 de Março - Dia da Emancipação Política do Município

Relação de Bens Protegidos pelo Município, pela União ou pelo Estado

(Proteção Estadual)
Bemge (Banco do Estado de Minas Gerais) R. Deputado José Onório s/nº / Av. Brasil nº 584
Antigo Mercado Municipal Rua Deputado José Honório, s/nº
Capelinha N. Sra. das Graças
Casarão Bety Almeida Av. Brasil s/nº
Centro Cultural Baptista Brazil Av. Brasil
Espaço Cultural Jocélio Moreira Costa R. Amazonas nº 70
Estádio Municipal Milvernes Cruz Lima R. José Ferreira s/mº
Ginásio Poliesportivo José Istácio Brandão R. Amazonas nº 492
Igreja N. Sra. D'Ajuda R. Brasília s/nº
Igreja N. Sra. do Rosário Pç. São Sebastião s/nº
Imóvel de uso institucional denominada E.E Tranquilina Pinto Coelho Av. Presidente Medici nº 150
Mercado Municipal Leordino Souza Aguilar Av. Herculano José de Souza s/nº
Praça Del Rey R. Minas Gerais com R. Governador Magalhães Pinto
Prédio da Câmara Municipal de Felisburgo R. Antônio Alves de Oliveira nº 16
Prédio da E.M Euplínia Magalhães Barbosa Av. Brasil nº 198
Prédio da Prefeitura Municipal Av. Brasil nº 969
Unidade Sanitária Felisburgo (Posto de Saúde) R. Joaquim Francisco de Souza nº 92
Acervo de Imagem da Igreja de N. Sra. do Rosário Ig. N. Sra. do Rosário
Crucifixo de metal dourado de propriedade da Igreja Matriz do Rosário Pç. São Sebastião
Imagem de N. Sra. do Rosário Ig. N. Sra. do Rosário
Conj Paisag. composto pela Av. Brasil, Praça José Dias Pinto Coelho e Praça São Sebastião Av. Brasil
Conj Paisag. da bacia do rio Jequitinhonha
Folias de Minas (Proteção Estadual)

Bairros, Distritos e Comunidades Rurais

Felisburgo (distrito-sede)

Bairros: Centro e Bela Vista

Mapa da Cidade de Felisburgo

Tempo na Cidade de Felisburgo

Distâncias

Distância Entre Felisburgo e Belo Horizonte:

Distância Entre Felisburgo e Teófilo Otoni:

Distância Entre Felisburgo e Almenara:

Distância Entre Felisburgo e Araçuaí:

Distância Entre Felisburgo e Capelinha:

Distância Entre Felisburgo e Diamantina:

Distância Entre Felisburgo e Pedra Azul:

Fonte: IBGE

Fonte: Fundação João Pinheiro

Fonte: Site da Prefeitura de Felisburgo

Fonte: Iepha