Home > Turismo em Jequitinhonha > História de Jequitinhonha

História de Jequitinhonha

Fundada em 29 de setembro de 1811, a cidade que faz parte da microrregião de Almenara, na mesorregião do Jequitinhonha, Jequitinhonha tem um total de 3510,96 km², com uma população de 24.002 pessoas, divididos entre o distrito-sede e os distritos de Guaranilândia (Guarani), São Pedro do Jequitinhonha (São Pedro), e Cajú, sendo um município da região de influência Almenara, fazendo divisa com os municípios de Medina, Itaobim, Pedra Azul, Almenara, Rubim, Joaíma, Felisburgo e Ponto dos Volantes, sendo os nascentes na cidade chamados de jequitinhonhense.

Jequitinhonha-MG

Fundada em 29 de setembro de 1811, a cidade que faz parte da microrregião de Almenara, na mesorregião do Jequitinhonha, Jequitinhonha tem um total de 3510,96 km², com uma população de 24.002 pessoas, divididos entre o distrito-sede e os distritos de Guaranilândia (Guarani), São Pedro do Jequitinhonha (São Pedro), e Cajú, sendo um município da região de influência Almenara, fazendo divisa com os municípios de Medina, Itaobim, Pedra Azul, Almenara, Rubim, Joaíma, Felisburgo e Ponto dos Volantes, sendo os nascentes na cidade chamados de jequitinhonhense.

História de Jequitinhonha

Primeiros Habitantes

Seus habitantes primitivos foram os índios Machacalis ou Patascos, descendentes dos Tapuias nas povoações que se localizavam de Aldeias e Faranchos, distantes 3 a 36 Km, respectivamente da Sede Municipal. Embora seja ignorado seu comportamento com relação aos brancos, sabe-se que eles foram exterminados pelas doenças ou massacrados pelo invasor que lhes arrebatou as terras.

Fundação

São Pedro do Jequitinhonha

Segundo o Diário do Jequi São Pedro foi fundado no início do Século IXX, por volta de 1800, pelo Padre Fernando. Por ter uma fazenda nas proximidades, ele reuniu um grupo de fiéis e celebrou uma missa. No local, foi construída uma capela, consagrada a Nossa Senhora das Graças.

Assim, o distrito é mais antigo do que a própria sede do município, cujo marco de fundação é a 7ª. Divisão Militar de São Miguel (atual Jequitinhonha), implantada em 1811.

Em 1880, São Pedro passa a freguesia (ou paróquia), ainda pertencente à Diococese de Diamantina. Embora o padroeiro fosse São Pedro, a devoção popular levou que a primeira igreja do lugar fosse consagrada a São Sebastião.

Origem do Povoado de Jequitinhonha

O Povoado que deu origem a atual cidade de Jequitinhonha foi fundado em 29 de setembro de 1811 pelo Alferes Julião Fernandes Leão, que recebera ordem, emanada da Coroa em 1804, no sentido de guarnecer o Rio Jequitinhonha que se supunha ser diamantífero.

Inicialmente foram construídas 2 casas, sendo uma no lugar denominado Roda e outra no centro do Povoado, e instaladas as primeiras fazendas de criação e as primeiras lavouras, nas quais se empregavam processos rotineiros e instrumentos primitivos de trabalho.

A localização da cidade se prendeu a razões de segurança militar e à circunstância de ali se achar a barra do rio São Miguel, cujo percurso dava fácil acesso ao local em que foram encontrados índios que poderiam ser catequisados.

Sétima Divisão Militar de São Miguel

Segundo a obra Jequitinhonha: a riqueza de um vale À primeira divisão militar criada no Jequitinhonha deu-se o nome de Sétima Divisão Militar de São Miguel, em homenagem ao santo do dia em que Julião Fernandes Leão chegou à região. Em torno dela, cresceria o povoado de São Miguel, que deu origem à atual cidade de Jequitinhonha. A igreja paroquial foi erguida em 1818, por iniciativa do vigário da freguesia de Nossa Senhora da Conceição da Água Suja. Em 1837, já havia dois quartéis instalados no povoado.

Genocídio Botocudo

*BOTOCUDOS, Foi uma denominação genérica dada pelos colonizadores portugueses a diferentes grupos indígenas pertencentes ao tronco macro-jê (grupo não Tupi), de diversas regiões geográficas, cujo indivíduos, em sua maioria usavam botoques labiais e auriculares.

A guerra contra os botocudos foi implacável. A tática incluía o cerco da aldeia durante a noite e o assalto durante a madrugada. No primeiro lance, eram tomados os arcos e flechas dos sitiados, que eram guardados amontoados próximos ao fogo. Os adultos eram então trucidados, separando-se as crianças, para serem vendidas como trabalhadores escravos, e as mulheres jovens, para a escravização sexual. Índios cooptados pelos militares serviam de guias. “Matar uma aldeia” era a expressão comumente utilizada para designar esses assaltos.

Segundo Teófilo Otoni, que descreveu minuciosamente o morticínio de várias aldeias botocudas, “[...]matavam-se aldeias no Jequitinhonha, no Mucuri, e no Rio Doce, em Minas, e no Espírito Santo”. Na comarca de São Mateus, no Espírito Santo, o autor ouviu o relato de que um comandante militar trouxera de uma dessas matanças, como despojo de guerra, 300 orelhas amputadas de índios mortos. Houve até casos de doação de roupas de pessoas sabidamente infectadas por doenças contagiosas para grupos indígenas, com o propósito de matá-los pelo contágio.

Saint-Hilaire e Spix e Martius elogiam o “trato bondoso” do comandante Julião Fernandes Leão para com os índios, mas, segundo Otoni, o militar foi o responsável pela guerra contra os botocudos “[...]em toda a extensão do Jequitinhonha, do Calhau até Belmonte.”

A estratégia de “limpeza” dos sertões do leste foi bem sucedida. Em meados do século XIX, salienta-se a ocupação agrícola e a circulação mercantil entre o quartel de São Miguel e o litoral. Nessa região, já se cultivavam algodão, cana-de-açúcar, milho, feijão, arroz, mandioca, legumes, melão e melancia.

Localização da Sétima Divisão Militar

A cidade de Jequitinhonha, originária do primeiro povoado luso-brasileiro assentado no médio Jequitinhonha, possui edificações do início do século XX, algumas delas de grande beleza arquitetônica e em excelente estado de preservação, mas não há sinais da antiga posição de sede da Sétima Divisão Militar. É possível que nisso tenha influído a trasladação do centro da cidade para a sua parte mais alta, longe do rio, devido à enchente de 1979.

Origem do Nome de Jequitinhonha

A cidade teve inicialmente, o nome de "Sétima Divisão Militar de São Miguel" e passou a denominar-se depois, sucessivamente, Freguesia de São Miguel da Sétima Divisão, Vila de Jequitinhonha e Jequitinhonha. A denominação São Miguel se deve à circunstância de ter o seu fundador ali chegado no dia em que a igreja católica celebra a festa do Arcanjo São Miguel.

Significado do Nome Jequitinhonha

O topônimo Jequitinhonha é de origem indígena e significa rio largo, cheio de peixes, e o gentílico da cidade é 'Jequitinhonhense'.

Formação administrativa

1880

O distrito de São Pedro do Jequitinhonha (São Pedro) foi criado pela Lei Estadual Nº 1.039 de 12/12/1953 (Lei Provincial nº 2.565 de 3/1/1880)

1811

O Povoado que deu origem a atual cidade de Jequitinhonha foi fundado em 29 de setembro de 1811 pelo Alferes Julião Fernandes Leão, que recebera ordem, emanada da Coroa em 1804, no sentido de guarnecer o Rio Jequitinhonha que se supunha ser diamantífero.

1871

É criado o distrito de Salto Grande (Salto da Divisa), pela Lei Provincial nº 1860, de 12-10-1871, e Lei Estadual nº 2, de 14-09-1891, subordinado ao município de São Miguel de Jequitinhonha.

1891

É criado o distrito de Vigia, pela Lei Provincial n.º 3.442, de 26-09-1887 e pela Lei Estadual n.º 2, de 14-09-1891.

1911

É criado o distrito de Bonfim de Joahima (povoado de Quartéis do Bonfim), pela Lei nº 556, de 30/08/1911, do recém criado município de São Miguel de Jequitinhonha.

1914

Pela Lei Estadual n.º 622, de 18-09-1914, a Vila e município de São Miguel do Jequitinhonha se denominará - Vila Jequitinhonha, o distrito de Vigia passa a se chamar São João do Vigia.

1923

Pela Lei Estadual n.º 843, de 07-09-1923, o município de Vila Jequitinhonha tomou o nome de Jequitinhonha, foi criado o distrito de Pedra Grande, Felisburgo e Rubim (este último com terras de São João da Vigia).

1938

Pelo Decreto-Lei Estadual nº 58, 12-01-1938, o distrito de Salto Grande (Salto da Divisa), Pedra Grande e Rubim foram transferido de Jequitinhonha para o novo município de Vigia (Almenara).

1938

Pelo Decreto-Lei Estadual nº 148, de 17-12-1938, é criado o distrito de Barracão (Rio do Prado), subordinado ao município de Jequitinhonha.

1943

Pelo Decreto-Lei Estadual nº 1058, de 31-12-1943, o distrito de Barracão tomou a denominação de Rio do Prado, e foi transferido do município de Jequitinhonha para constituir o novo município de Rubim.

1948

Em 27/12/1948, através da Lei nº 336, Bonfim de Joahima se emancipa, criando o município de Joaíma, em homenagem ao chefe indígena Joahima, levando consigo o distrito de Felisburgo.

1962

O distrito de Guaranilândia (Guarani) foi criado pela Lei Estadual Nº 2.764 de 30/12/1962.

Bandeira e Brasão

Bandeiras da cidade de Jequitinhonha, Minas Gerais, Brasil.
Brasão da cidade de Jequitinhonha, Minas Gerais, Brasil.

Geografia

População

Pelo censo do IBGE de 2022, a cidade tem uma população de 24.002 habitantes, uma queda de -0,53% em relação 2010 quando eram 24.131, a densidade demográfica em 2023 é de 6.84 hab./km²

Distrito Área
Jequitinhonha 2250,53km²
Guaranilândia 356,36km²
São Pedro do Jequitinhonha 904,07km²
Cajú -
Total 3510,96km²

Aspectos Naturais

Clima: Semiárido

Bioma: Mata Atlântica

Hidrografia: Rio São Miguel, Ribeirão da Nova Barra, Rio Preto, Rio São Pedro (São Pedro), Ribeirão dos Prates (Guarani).

Economia

Impostômetro | Arrecadação de Impostos 2019 a 2022:

2019: 2020: 2021: 2022:
3.112.572 5.814.448 3.269.527 3.645.194
PIB per capita R$ 9.998,16 [2020]
Receitas de Fontes Externas 89,1 % [2015]
IDHM 0,615 [2010]
Mercado Municipal de Jequitinhonha
Mercado Municipal de Jequitinhonha

Educação

Escolas:

Estaduais em Jequitinhonha: CESEC Zemaria do Norte, Dr. Henrique Heitman, Cel. Ramiro Pereira, Prefeito Epaminondas Ramos, São Miguel.

Municipais em Jequitinhonha: Fazenda Campo Novo (Fazenda Campo Novo), Dr Antonio Lucena Peixoto, Faz Cranzinho Krant, José Claudio de Souza (Quilombo De Mumbuca), Antonio Silvério Pereira (Assentamento Brejão), Cachoeira (Fazenda Cachoeira), de Ensino Fundamental de 1ª A 4ª Serie, Centro Educacional Meu Caminho, Escola Família Agrícola Renascer (Assentamento Campo Novo), Crauno (Faz Crauno).

Pré-Escola Municipal em Jequitinhonha: Pem Antonieta Bias Fortes, Pem Alvorada, Pem Branca De Neve Estiva, Pem Sta Luzia.

Guaranilândia: EE. Cel. João da Cunha e Pem Turma da Mônica

Povoado de Estiva: EE. Professor Manuel do Norte

Caju: Pem Sossego da Mamãe e Em Min Clóvis Salgado

São Pedro Do Jequitinhonha: Pem Carequinha

Escolarização de 6 a 14 anos 96% [2010]
IDEB – Anos iniciais do E.F 5,1 [2021]
IDEB – Anos finais do E.F 4,2 [2021]
Matrículas no E.F 2.762 matrículas [2021]
Matrículas no E. Médio 948 matrículas [2021]
Docentes no E.F 206 docentes [2021]
Docentes no E. Médio 104 docentes [2021]
Escolas: E.F 19 escolas [2021]
Escolas: E. Médio 6 escolas [2021]

Cultura

Datas Comemorativas, Festas tradicionais e Festivais

29 de Setembro - Dia da Emancipação Política do Município

Boi de Janeiro, Carnaval, Virada Cultural, Folia de Reis, FEQUAJE, Festa de Santo Antônio (Cajú), Festividades de São Pedro e São Sebastião e a Procissão dos Cavaleiros de São Sebastião (São Pedro).

Folias Cadastradas no Iepha-MG: Grupo Folclórico Vera Cruz ou Calabouço (Sede), Grupo de Folia de Reis de Guaranilândia (Guaranilândia), Grupo de Folia de Reis do Distrito de São Pedro (Distrito de São Pedro), Reisado Fazenda Nova Projeto Crauno (Assentamento Crauno).

Boi de Janeiro: Boi Relâmpago, Boi Bandido, Boi Mirim e Estrela Cometa.

Turismo

Turismo Histórico-Cultural: Centro Histórico, Casa de Cultura de Jequitinhonha, Biblioteca Pública Municipal Antônio Rassine da Cunha Peixoto, Mercado Municipal.

Turismo Histórico-Cultural (Praças): Praça Virgem da Lapa (Praça. da Matriz), Praça Virgem da Lapa (Praça. da Matriz), Praça Adelino Barbosa (Praça de Eventos), Praça Carlos Américo da Cunha Peixoto (Praça do Alvorada), Praça Padre Emericiano, Praça da Bandeira (Bairro Unicampo), Praça do Bairro Alvorada, Praça Antônio de Ovidio e Praça das Nações.

Folclore e Tradição: Boi de Janeiro, Carnaval, Folia de Reis e FEQUAJE e Coral Vozes do Jequitinhonha.

Ecoturismo: Conjunto Paisagístico: Rio Jequitinhonha, Reserva Biológica da Mata Escura e Cachoeira do Brejão, a possível práticar Camping na Orla do Rio Jequitinhonha.

Turismo Rural: -

Turismo Científico: No distrito do Cajú existe registro de pinturas ruprestres, porém nunca foi realizado um estudo no local.

Turismo de Aventura: Mergulho, Canoagem (canoa ou caiaque), Trekking, Escalada. Embora não tenha estrutura existe o potencial de se praticar Rapel, Bungee jumping, Paraquedismo.

Turismo de Esportes: Calvagada Religiosas, e potencial para Trekking e Ciclismo Rural.

Turismo de Negócios: -

Turismo Gastronômico: -

Turismo Religioso: Matriz São Miguel e Almas, Igreja Nossa Senhora das Graças (Rua Belo Horizonte), Igreja São Vicente de Paulo (Alvorada), Igreja São José (São José), Capela Santo Antônio (Bairro Santo Antônio), Igreja Nossa Senhora da Boa Viagem (Guarani), Igreja Santo Antônio (Caju), Igreja Matriz São Pedro (São Pedro), Igreja Nossa Senhora da Ajuda (Estiva).

Turismo de Lazer: Clube Campestre, AABB JEQUITINHONHA MG, Rotary Club de Jequitinhonha.

Centro Histórico

Patrimônio Tombado

Caixa d'Água Travessa São Francisco s/nº
Casa do Sr. Minervino R. Benedito Valadares nº 84
Cruzeiro dos Martírios Adro da Igreja Santo Antônio
E.E Nuno Melo R. Cel. Ramiro Pereira nº 228
Capela de Santo Antônio R. Turmalina nº 116
Igreja de N. Sra. da Ajuda Pç. N. Sra. d'Ajuda s/nº - Povoado de Estiva
Igreja de N. Sra. da Boa Viagem Pç. Tancredo Neves nº 88 - Distrito de Guaranilândia
Igreja de N. Sra. das Graças R. Belo Horizonte s/n esquina com Av. Brasil
Igreja de São José R. Floriano Peixoto s/nº
Igreja Matriz de São Miguel e Almas Pç. Virgem da Lapa s/nº
Cruz de Metal e Alfaias Exposto no Altar-Mor da Ig. São Miguel e Almas Pç. Virgem da Lapa s/nº
Prédio da Prefeitura Municipal R. Cel. Ramiro Pereira nº 87
Residência de D. Sebastiana Souto R. Cel. Ramiro Pereira nº 48
Tamarineiro às margens do rio Jequitinhonha
Retrato D. Aurora Martins de Araújo Acervo particular de Maria Amelia Martins
Tapeçaria "Sonhos e Quimeras" Acervo particular de Antônio Bernardino G. Murta
Conj Urbanístico da Av. Pedro Ferreira e Praça Cel. Franco Conj Urbanístico da Av. Pedro Ferreira e Pç. Cel. Franco entre Pç. Virgem da Lapa e R. Inácio Murta 1,3 ha
Conj Paisag. da bacia do rio Jequitinhonha (Proteção Estadual)
Arte em Barro do Jequitinhonha (Proteção Estadual)
Roda de Capoeira e/ou Ofício de Mestre da Capoeira (Proteção Federal)
Folias de Minas (Proteção Estadual)

Esporte

A cidade conta com o Estádio Mineirinho, e bons resultados no handebol regional.

Handebol o time adulto ficou em segundo lugar na zonal F do Campeonato Mineiro de Handebol Adulto Masculino 2022, e em segundo lugar na categoria cadetes (14 a 16 anos), o resultado final foi Escola de Esportes RAÇA Divinópolis por 31 X 25 Pref. Mun. Jequitinhonha.

JEMG 2023 Na Etapa Microrregional, o Handebol Masculino da E.E. São Miguel foi o campeão no Módulo II. Dos 16 enxadristas classificados no masculino e feminino, Módulo I e II, metade dos atletas eram da cidade. Na etapa estadual, a Estudantes-Atletas Yasmin Teixeira Gomes (E.E. Coronel Ramiro Pereira) foi a única classificada para a etapa Etapa Estadual.

Bairros, Distritos e Comunidades Rurais

Distritos de Jequitinhonha

Atualmente são apenas 4 distritos, Jequitinhonha (distrito-sede), Guaranilândia e São Pedro do Jequitinhonha.

Jequitinhonha (distrito-sede)

O distrito-sede de Jequitinhonha tem uma área de 2250,53 km², ou seja, 64,10% do território.

Bairros: Vaticano, Centro, Alvorada, Santa Luzia, São José etc.

Guaranilândia

O distrito de Guaranilândia (Guarani) tem uma área de 356,36 km², ou seja, 10,15,% do território, a lei de criação do distrito é a Lei Estadual Nº 2.764 de 30/12/1962.

São Pedro do Jequitinhonha

O distrito de São Pedro do Jequitinhonha (São Pedro) tem uma área de 904,07 km², ou seja, 25,74% do território, a lei de criação do distrito é a Lei Estadual Nº 1.039 de 12/12/1953 (Lei Provincial nº 2.565 de 3/1/1880).

Cajú

O distrito é formado da comunidade do Cajú, antes pertencente ao distrito de São Pedro do Jequitinhonha, não se sabe a lei de criação, ou sua àrea total.

Comunidades Quilombolas

Cachoeira (Mumbuca) Fundação Palmares
Escuta (Mumbuca) Fundação Palmares
Farranchos ou Guarani Acervo Cedefes
Laranjeiras (Mumbuca) Fundação Palmares
Mumbuca (Mumbuca) Fundação Palmares

Comunidades Locais

Krant, Jequitibá, Craúno, Craunília, Rio Preto, Ilha do Pão, Transilvânia, Oratório, Araçatuba, Boa Vista, Beira Rio, Vai quem Quer, Santo Antônio, Santo Antônio Rural, Chapadinha, Brejão, Maranhão, Campo Novo, Assentamento Franco Duarte, Assentamento Transval, Cachoeira, Laranjeira, Para Terra, Monteiro, Palmasso.

Mapa da Cidade de Jequitinhonha

Tempo na Cidade de Jequitinhonha

Distâncias

Distância Entre Jequitinhonha e Belo Horizonte:

Distância Entre Jequitinhonha e Teófilo Otoni:

Distância Entre Jequitinhonha e Almenara:

Distância Entre Jequitinhonha e Araçuaí:

Distância Entre Jequitinhonha e Capelinha:

Distância Entre Jequitinhonha e Diamantina:

Distância Entre Jequitinhonha e Pedra Azul:

Fonte:

IBGE

Fundação João Pinheiro

Site da Prefeitura de Jequitinhonha

Iepha

Facebook do Jequitinhonha MINAS Brasil

Lista de Folias Cadastradas, 2020 - Iepha-MG

Jogos Escolares de Minas Gerais – JEMG/2023