Home > Jequitinhonha > Centro de Artesanato da Associação dos Artesãos do Guarani – Ari Ari: Turismo Em Jequitinhonha

Centro de Artesanato da Associação dos Artesãos do Guarani – Ari Ari: Turismo Em Jequitinhonha

A Associação dos Artesãos do Guarani Ari Ari foi fundada em 2005 a partir do incentivo do Padre Dom Geraldo, oriundo de Diamantina para Jequitinhonha, conhecedor da tecelagem de Berilo e da família da artesã Marlice que havia recentemente mudado de Berilo para Guaranilândia.

Centro de Artesanato da Associação dos Artesãos do Guarani – Ari Ari: Turismo Em Jequitinhonha

Associação dos Artesãos do Guarani

A Associação dos Artesãos do Guarani Ari Ari foi fundada em 2005 a partir do incentivo do Padre Dom Geraldo, oriundo de Diamantina para Jequitinhonha, conhecedor da tecelagem de Berilo e da família da artesã Marlice que havia recentemente mudado de Berilo para Guaranilândia.

O padre utilizou recursos italianos para adquirir um terreno de 4 hectares e posteriormente mais 10 hectares para o plantio de algodão e uma máquina descaroçar o algodão produzido. O algodão descaroçado era enviado a Francisco Badaró para ser fiado – transformado em linha e os novelos (meadas) retornavam para tingimento e tecelagem. Foram edificados ainda dois galpões e área de serviços que juntamente com os equipamentos estão sob a guarda da Associação Comunitária de Guaranilândia, entidade parceria da Associação Ari Ari.

Linha feita com a Fibra da Bananeira

Após a saída do padre da cidade, a ação de manejo do algodão foi encerrada pelos produtores locais, impactando a produção artesanal. As artesãs mantiveram o propósito da ação coletiva, mesmo sem acompanhamento para seus processos de gestão, produção e comercialização.

Durante os 10 primeiros anos de atuação, a associação contou com diversos projetos e tem a Prefeitura Municipal de Jequitinhonha como uma parceira constante e demandada pelo grupo.

Com o estímulo do Padre Geraldo e os cursos ministrados pela artesã Marlice para o repasse das técnicas de tecelagem aprendidas e praticadas por sua família em Berilo, o grupo foi formado e vem atuando desde então. A mobilização do grupo mantém-se firme graças ao desejo das artesãs em manter viva essa tradição e pelo espirito empreendedor de importantes lideranças locais.

Mapa: Associação dos Artesãos do Guarani

Fontes:

ARTESOL