Home > Teófilo Otoni > História do Distrito de Bias Fortes ou Crispim Jacques

História do Distrito de Bias Fortes ou Crispim Jacques

A Estação de Bias Fortes, no distrito de Chrispim Jacques, foi a primeira edificação integralmente construída no atual território de Teófilo Otoni. De acordo com relatos locais, a construção foi inaugurada em 28/02/1897 e, a partir de então, a comunidade passou a receber produtos agrícolas que vinham de outras localidades por meio das tropas de muares, como o café que era cultivado no território onde mais tarde seria constituído o município de Ouro Verde de Minas

Bias Fortes ou Crispim Jacques

Criado pela Lei Estadual Nº 336 de 27/12/1948, o Distrito de Crispim Jacques tem uma área aproximada de 472,09 km², ou seja, 14,56% território do município de Teófilo Otoni. O nome do lugar é uma homenagem ao fundador da capital mineira de Belo Horizonte, Crispim Jacques Bias Fortes.

Bias Fortes ou Crispim Jacques? Oficialmente, o distrito mais a leste do distrito sede do município de Teófilo Ottoni é denominado Bias Fortes (porém também é utilizado o nome Crispim Jacques).

História de Bias Fortes ou Crispim Jacques

De Acordo com o artigo Estrada de ferro Bahia-Minas: materialidades remanescentes na paisagem do município de Teófilo Otoni, Minas Gerais, Morais, Costa e Porto (2022, p. 10) afirmam que

❝A Estação de Bias Fortes, no distrito de Chrispim Jacques, foi a primeira edificação integralmente construída no atual território de Teófilo Otoni. De acordo com relatos locais, a construção foi inaugurada em 28/02/1897 e, a partir de então, a comunidade passou a receber produtos agrícolas que vinham de outras localidades por meio das tropas de muares, como o café que era cultivado no território onde mais tarde seria constituído o município de Ouro Verde de Minas. Após o encerramento das atividades o prédio da antiga estação foi parcialmente modificado para abrigar um Centro Comunitário que, nos dias de hoje, encontra-se inativo e em seu interior é possível identificar alguns danos estruturais.❞

Mapa dos anos 1950 mostra a linha passando pelo município de Teófilo Ottoni, mostrando também a estação de Bias Fortes (hoje sede do município do memo nome), a leste da sede junto à divisa municipal, mas ainda com o nome do antigo distrito: Crispim Jaques (mapa parcial) (IBGE: Enciclopédia dos Municípios Brasileiros, vol. VII, 1960).

A Estrada de Ferro Bahia e Minas começou a ser construída no ano de 1881 em Ponta de Areia, no Sul da Bahia, e tinha o objetivo de ligar o nordeste de Minas Gerais com o Porto de Caravelas no Sul da Bahia, fazendo o transporte de cargas e passageiros. O distrito de Bias Fortes foi fundado oficialmente no ano de 1897, com a chegada da Estrada de Ferro Bahia e Minas.

A chegada da EFBM coincidiu com o mandato do segundo Presidente da Província de Minas, Crispim Jacques Bias Fortes, de 07/09/1894 à 07/09/1898; quando foi construída mais uma estação da estrada de ferro Bahia e Minas.

Inscrição na estátua de Bias Fortes, na Praça da Liberdade, Belo Horizonte, Brasil.

Dos moradores mais antigos podemos destacar a presença de dois croatas, Miguel Pereira e João Tomich, o primeiro proprietário de um comércio e o segundo era madeireiro, proprietário de imensa área da Mata Atlântica, através de concessão, para o fornecimento de dormentes a serem empregados na construção da estrada de ferro.

O distrito teve os seus anos de glória como entreposto comercial até a década de 50 do século XX. A partir daí, no início dos anos 60 com o êxodo do trabalhador rural devido ao arrocho das leis trabalhistas, começa a sofrer um inchaço populacional de desocupados expulsos das fazendas vizinhas, definhando assim sua frágil economia até o caos total com o fim da Estrada de Ferro Bahia e Minas no ano de 1965

Com a retirada dos trilhos a debandada de moradores foi geral, uns para a sede do município, outros para cidades vizinhas, além daqueles que foram para outras regiões ou estados.

Atualmente, o Distrito de Bias Fortes é uma aglomeração urbana fantasma com grande quantidade de edificações fechadas ou abandonadas. A economia local atual gira em torno dos aposentados, das bolsas distribuídas pelo Governo Federal e das atividades agrárias com o predomínio das grandes fazendas de gado que oferecem pouca oferta de trabalho.

Geografia

Economia: A economia atual se baseia em torno das aposentadorias e bolsas distribuídas pelo Governo Federal. A pouca mão-de-obra ainda existente presta serviços nas fazendas da região.

O único comércio Bias Fortes ou Crispim Jacques, segundo informações da Secretaria de Cultura, está funcionando na mesma edificação construída pelo croata Miguel Pereira, no final do século XIX.

Hidrografia: Rios Mucuri e Todos os Santos, e os córregos do Ouro, São Roque, Fundo, Garganta do Anjo, São Pedro, Volta Bala.

Relevo: Formações graníticas onde está situado o ponto mais alto do município, a Pedra da Boca, com a altitude de 1.305 m.

Patrimônios

Estruturas Arquitetônicas e Urbanísticas:

Dominação Endereço
Casa de Evergisto Tomich R:Bahia e Minas
Casa Comercial Miguel Pereira R:Bahia e Minas, 429
Casa Residencial / Comercial R: Franklim Tomich
Cartório de Registro Civil R: Franklim Tomich,36

Arquivísticos:

Dominação Endereço
Arquivo do Cartório de Registro Civil R: Franklim Tomich,36

Conjuntos Paisagísticos:

Dominação Endereço
Garganta do Anjo BR-418 - Estrada do Boi, km 40
Pedra da Boca BR-418 -Estrada do Boi, km 42

Núcleo Histórico – Estrada de Ferro Bahia e Minas (EFBM)

Dominação Endereço
Estação Ferroviária Bias Fortes

Lista de Povoados e Comunidades de Bias Fortes

Localidade Distância de TO Categoria
Bias Fortes (sede distrital) Povoados
Brejão 55 km Povoados
Volta Bala 70 km Comunidades
São Paulino 55 km Comunidades
Córrego Do Ouro Comunidades
Córrego Santanhinha Comunidades
Córrego Barreiro Comunidades
Córrego São Francisco Comunidades
Córrego São Bento Comunidades
São Pedro Comunidades
Comunidade Chapadinha Comunidades
São Roque Comunidades
Volta Bala Comunidades
Córrego Carrapato Comunidades

Galeria de Imagens

Mapa de Bias Fortes ou Crispim Jacques

Lista de Distritos de Teófilo Otoni

Distrito Área Lei Estadual
Crispim Jacques 472,09 km² Nº 336 de 27/12/1948
Pedro Versiani 487,00 km² Nº 336 de 27/12/1948
Topázio 598,54 km² Nº 1.039 de 12/12/1953
Mucuri 310,62 km² Nº 6.769 de 13/5/1976
Rio Pretinho 289,22 km² Nº 6.769 de 13/5/1976

Fonte: IBGE

Fonte: Fundação João Pinheiro

Fonte: Site da Prefeitura

Artigo: Estrada de ferro Bahia-Minas: materialidades remanescentes na paisagem do município de Teófilo Otoni, Minas Gerais

stações Ferroviárias

GERVÁSIO, F. K., BERTINATO, N. T. Quadro III: Dossiê de Tomabamento das Fachadas do Edifício dos Correios - Téofilo Otoni. Prefeitura de Téofilo Otoni. 2010. Disponível em: <https: //www.teofilootoni.mg.gov.br/wp-content/uploads/2018/02/Quadro-III-BI-Correios-Te%C3%B3filo-Otoni-Ex2011.pdf>. Acesso em: Acesso em: 10 fev. 2023.