Home > História de Setubinha

História de Setubinha

Fundada em 22 de dezembro de 1995, a cidade que faz parte da microrregião de Teófilo Otoni, na mesorregião do Vale do Mucuri, Setubinha tem um total de 534,655 km², divididos entre o distrito-sede e o distrito de Palmeiras do Vale, sendo um município da região de influência da Capital Regional de Teófilo Otoni, fazendo divisa com os municípios de Novo Cruzeiro, Minas Novas, Malacacheta, Angelândia e Ladainha, sendo os nascentes na cidade chamados de setubinhense.

Setubinha-MG

Fundada em 22 de dezembro de 1995, a cidade que faz parte da microrregião de Teófilo Otoni, na mesorregião do Vale do Mucuri, Setubinha tem um total de 532,19 km², divididos entre o distrito-sede e o distrito de Palmeiras do Vale, sendo um município da região de influência da Capital Regional de Teófilo Otoni, fazendo divisa com os municípios de Novo Cruzeiro, Minas Novas, Malacacheta, Angelândia e Ladainha, sendo os nascentes na cidade chamados de setubinhense.

História de Setubinha

Ainda que grande parte dos documentos referentes ao município tenha se perdido em duas enchentes do Rio Araçuaí, muito se conservou de sua história, que é mais antiga do que a história de Malacacheta. Por volta de 1830, a região foi visitada por um português, cobrador de impostos e Guarda-mor do Império, chamado Jerônimo.

Este, a caminho de Teófilo Otoni, seguindo a trilha aberta por Benedito Otoni (com o objetivo de descobrir afluentes do Rio Mucuri que o levassem ao mar – na Bahia) passando por Setubinha na época Sesmaria de uma família originária da cidade portuguesa de Setúbal – resolveu instalar-se definitivamente no Setubinha.

Origem do Nome

O principal rio desta sesmaria recebeu o nome de Setúbal em homenagem à cidade natal dos portugueses. Parte dela, que foi doada para outra família, tinha sua área territorial banhada por um afluente do rio Setúbal, que por ser de menor porte, recebeu o nome de Setubinha, originando-se, assim, o nome atual do município:

Primeiros Moradores

As terras visitadas foram doadas em sesmaria a uma outra família portuguesa, de nome Batista de Miranda, que nela construiu as primeiras casas, por volta de 1840. Em 1841, a povoação conhecida como Santo Antônio do Setubinha, já servia de referência para Cassimiro Gomes Leal.

Povoamento

Por ela passaram, em 1847 e 1852, as expedições de Teófilo Benedito Otoni rumo ao Vale do Mucuri. Novas famílias, algumas de tradição mineira como a Paula Dias, que descende de Alvarenga Peixoto, foram chegando e trazendo o progresso para a povoação, que se tornou Paróquia e foi elevada à categoria de Distrito de Minas Novas

Emancipação

Em 1965, houve neste período de tempo a primeira tentativa de emancipação de Setubinha, que fracassou derrotado nas urnas. Em 1994, então o vereador Teófilo Barbosa Neto, organizador do movimento pró-emancipação, encontrou pessoas influentes na política de minas e com seu grande empenho, sagrou-se vitorioso em plebiscito realizado no dia 10 de outubro de 1995, com mais de 90% dos votos válidos e em 21 de dezembro de 1995, através da Lei Estadual nº 12030, Setubinha foi elevado à categoria de município, sancionada pelo governador Hélio Garcia.

Resgate Histórico

No resgate da história da ocupação populacional do município de Setubinha verificou-se que a maior parte é originada de famílias de agricultores migrantes a partir do Vale do Jequitinhonha, principalmente das cidades de Minas Novas e Araçuaí, bem como do sertão baiano.

Há também registros de famílias originárias de imigrantes portugueses e libaneses e, nas áreas de ocupação mais antigas foram relatados encontros com povos indígenas e encontrados sinais da presença anterior destas populações, apesar de ser inexplicável seu desaparecimento.

As famílias sobreviviam da agricultura e transportavam seus produtos em lombo de animais até Sucanga (Poté) e daí de trem até Teófilo Otoni, onde eram comercializados.

Bandeiras da cidade de Setubinha, Minas Gerais, Brasil.
Brasão da cidade de Setubinha, Minas Gerais, Brasil.

Formação Administrativa

1838-1840

Fundação do povoado

1865

Criação do Distrito de Santo Antônio do Setubinha, pertencente ao Município de Minas Novas, pela Lei Provincial nº 1.251, de 15 de novembro de

1880

Criação da Freguesia de Santo Antônio do Setubinha, dia 03 de janeiro. No dia 04 de novembro do mesmo ano, Setubinha passou para a jurisdição de Teófilo Otoni;

1883

Criação do Cartório de Registro Civil e Tabelionato. Há registros de comércio de escravos;

1900

Iniciação da construção da atual Igreja Imaculada Conceição, pelo imigrante italiano Nicolas Mazzinghy, inaugurada en 1905.

1923

Setubinha passa a Distrito de Malacacheta.

1995

Realização do plebiscito em 22/10/95 e aprovação da Lei de Criação do Município: Lei nº 12.030, de 21/12/95, sancionada em 22/12/95

2002

Criação do Distrito Palmeiras do Vale, através da Lei nº 006/02, de 24/05/02, publicação: MG – 19/11/02

Geografia

População

O IBGE estima que em 2021 a cidade tenha uma população estimada em 12.493 habitantes, com a densidade demográfica em 2021 sendo de 23.47 hab./km²

Distrito Área
Setubinha 406,49 km²
Palmeiras do Vale 125,70 km²
Total 532,19km²

Aspectos Naturais

Clima:

Temperatura:

Índice Médio Pluviométrico Anual:

Hidrografia:

Bioma: Cerrado e Mata Atlântica

Vegetação:

Fauna:

Relevo:

Altitude Máxima:

Altitude Mínima:

Economia

Além da renda advinda pelo comércio, e do funcionalismo público, a cidade conta com diversos produtores da agricultura familiar, que vendem seus produtos tanto na feira livre da cidade, como também para a prefeitura, pelo programa de compras dos produtos dos produtores da agricultura familiar.

Agropecuária:

Extrativismo:

Indústria:

Comércio e Serviços:

Impostômetro | Arrecadação de Impostos 2019 a 2022:

2019: 2020: 2021: 2022:

Mais Dados:

PIB per capita 8.365,74 R$ [2020]
Receitas de Fontes Externas 94,7 % [2015]
IDHM 0,542 [2010]

Educação

Escolarização de 6 a 14 anos 95,1 % [2010]
IDEB – Anos iniciais do E.F 4,8 [2021]
IDEB – Anos finais do E.F 4,6 [2021]
Matrículas no E.F 1.906 matrículas [2021]
Matrículas no E. Médio 631 matrículas [2021]
Docentes no E.F 156 docentes [2021]
Docentes no E. Médio 56 docentes [2021]
Escolas: E.F 14 escolas [2021]
Escolas: E. Médio 3 escolas [2021]

Cultura & Turismo

Patrimônio: Em 2017, o IEPHA – Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico tombou como patrimônio a Folia de Reis de Setubinha.

Quilombo: Em 2018 Fundação Cultural Palmares Certificou o Quilombo Quaresma como remanescente de quilombo.

Festival: Em 28 e 29 de setembro de 2019, ocorreu na Comunidade Quilombola Quaresma, no distrito de Palmeiras do Vale, 4º Encontro de Flautas do Jequitinhonha que contou com a participação de 13 bandas de taquara dos municípios de Setubinha, Angelândia, Minas Novas e Capelinha, incluindo 3 bandas de taquara mirins, recentemente formadas.

Datas Comemorativas

Abril: Festival Regional da Música

Julho: Festa do Setubinhense Ausente

22 de Dezembro: Dia da Emancipação Política do Município

Relação de Bens Protegidos pelo Município, pela União ou pelo Estado

Conj Paisag. da bacia do rio Jequitinhonha (Proteção Estadual)

Galeria de Imagens

Esporte

Ciclismo: Em Agosto de 2022 ocorreu o 3° Desafio MTB de Setubinha realizado pela Prefeitura Municipal e a Equipe Giro Forte, fora, 80 ciclistas de várias cidades compareceram para participar da competição.

Futebol: A cidade conta com estádio municipal Tancredo Neves, onde ocorre o campeonato Municipal de Setubinha que em 2020 foi vencido pelo Só Gole, por 2x0 contra o Ajax, além da Taça Gezim do Táxi. Em Palmeiras do Vale ocorre a Copa Karisma, da rádio local.

A nível regional existem os campeonatos intermunicipais, além da principal competição, a Copa União dos Vales, onde a seleção da cidade joga.

Bairros, Distritos e Comunidades Rurais

Distritos de Setubinha

Atualmente são apenas 2 distritos, Setubinha (distrito-sede) e Palmeiras do Vale.

Setubinha (distrito-sede)

Com uma área de 406,49 km² dos 532,19km², ou seja, 76,38% do município, conta com os bairros Centro, Planalto, Jacinta Ambrosina.

Palmeiras do Vale

O distrito de Palmeiras do Vale tem uma área de 125,70 km², ou seja, 23,62% do município, a lei de criação do distrito é a Lei Municipal Nº 006 de 24/5/2002. O local conta com da Igreja São José, construída em 1913, e Praça Maria de Lourdes Ramos Alecrim, além do bairro Valdeni José Rodrigues.

- Foto: Circuito Turístico das Pedras Preciosas

Comunidades Rurais

Quilombolas: Comunidade Quaresma, Comunidade Soturno da Mata e Capivara (Soturno da Mata)

Comunidades

Coqueiros Pai Domingos
Almeidas Cabeceira do Chico Ferreira
Córrego dos Mendes Chico Ferreira
Córrego do Fogo Ribeirão Soturno
Córrego Espírito Santo Córrego do Cará
Córrego dos Dias Ribeirão São José
Córrego da Gangorra Córrego Santo Antônio
Córrego do Miguel Terra Boa
Baixa do Paiol Cabaceiras
São Francisco Tira Couro
Córrego do Barro Candeias
Setúbal Gangorra
dos Martins Saldanhas
Querubim Batistas
Fostinos Zé Roxinho
Jurema Cachoeira
Quatro Paus

Mapa da Cidade de Setubinha

Tempo na Cidade de Setubinha

Distâncias

Distância Entre Setubinha e Belo Horizonte:

Distância Entre Setubinha e Teófilo Otoni:

Distância Entre Setubinha e Almenara:

Distância Entre Setubinha e Araçuaí:

Distância Entre Setubinha e Capelinha:

Distância Entre Setubinha e Diamantina:

Distância Entre Setubinha e Pedra Azul:

Fonte: IBGE

Fonte: Fundação João Pinheiro

Fonte: Site da Prefeitura de Setubinha

Fonte: Iepha