Home > História de Machacalis

História de Machacalis

Fundada em 1 de janeiro de 1954, a cidade que faz parte da microrregião de Nanuque, na mesorregião do Vale do Mucuri, Machacalis tem um total de 330,47 km², sendo um município da região de influência de Águas Formosas, fazendo divisa com os municípios de Águas Formosas, Bertópolis, Fronteira dos Vales, Umburatiba, Crisólita e Santa Helena de Minas, sendo os nascentes na cidade chamados de machacalisense.

Machacalis-MG

Fundada em 1 de janeiro de 1954, a cidade que faz parte da microrregião de Nanuque, na mesorregião do Vale do Mucuri, Machacalis tem um total de 332,378 km², sendo um município da região de influência de Águas Formosas, fazendo divisa com os municípios de Águas Formosas, Bertópolis, Fronteira dos Vales, Umburatiba, Crisólita e Santa Helena de Minas, sendo os nascentes na cidade chamados de machacalisense.

História de Machacalis

Primeiros Moradores

O município tem sua história oficial a partir do antigo povoado denominado Norte, pertencendo a Águas Formosas, inicialmente, sendo seu distrito em 1938.

Emancipação

Emancipou-se em 1953 pela lei estadual nº 1039, de 12-12-1953, que desmembrou do município de Águas Formosas o distrito de Norte.

Origem do Nome

Elevado à categoria de município de Machacalis, adotando o atual nome em homenagem aos índios maxacalis, habitantes originais.

A principal fonte de informações sobre a história do de Machacalis é proveniente do site As Minas Gerais

Os primeiros registros traziam o nome de Norte Sucessivamente, foi chamado de Bela Vista do Norte, São Sebastião do Norte e, finalmente Machacalis, em 1953, na época da emancipação.

Primeiros Moradores

No ano de 1912, descendo o Rio Alcobaça, o Sr. Exupério Pereira abre a primeira posse, sendo o pioneiro do lugar, foi ele o fundador do Norte, em homenagem ao poderoso mártir, sob cuja proteção se colocou o comercinho, invocando-o contra o paludismo e a peste. Ao Sr. Exupério coube reservar a área para a construção das primeiras casas. A primeira construção de enchimento e cobertas de telhas de barro pertenceu a Antônio Bóia Dágua. O Sr. Prussidônio Lira foi um dos primeiros habitantes, bem como, Antônio, vulgo Camisão.

Frei Samuel Tetteroo

No mês de junho de 1915, Frei Samuel Tetteroo iniciou a construção da capela do novo povoado, inaugurada pelo Frei Feliciano Smitz, em 1918 com a festa de São Sebastião. O lugarejo não conseguiu desenvolver-se muito, devido às represálias das autoridades do Distrito de Pampam. O progresso começa com a chegada dos irmãos Antônio e Petronílio Gonçalves que rechaçaram o Chiata.

Sr. Ângelo José dos Santos Chiata

Também foi participante desta iniciativa da fundação do comércio o Sr. Ângelo José dos Santos Chiata, que, infelizmente mais tarde, se tornou o terror da região.

Frei Feliciano lutou muito contra as atrocidades de Chiata, atuante e destemido, cuja exaltação moral aliada ao zelo religioso, fê-lo credor de um eterno reconhecimento pelo povo do arraial onde os índios Maxacali já compunham normalmente aquela paisagem, em suas andanças incessantes à procura de caça e pesca. No dia 20 de fevereiro de 1918, Frei Feliciano, vindo de Quartéis visitou São Sebastião do Norte, celebrando a primeira festa do povoado, todo o povo da circunvizinhança veio participar daquela tradição sagrada.

Desenvolvimento Político

A primeira autoridade constituída, no início de sua vida política, foi o Sr. João Alves da Silva, elevado a juiz de paz, o Sr. Teodolino de Deus e Silva foi o escrivão de paz e o Sr. Genésio Gonçalves Pinheiro, subdelegado de polícia, o lugar de 2º juíz de paz coube ao Sr. José Dias. No combate ao Chiata chega ao Norte o Sr. João Silva e o Sr. Totônio Gonçalves, com a retirada de Totônio para Presidente Pena, investiu-se o Sr. João Silva de poderes para a chefia política do Norte, com alguns excessos de 1921 a 1943 quando vem a falecer, período de desenvolvimento do Norte.

O primeiro professor primário do lugar foi o Sr. Abílio de Almeida Franco, que exerceu o magistério primário em 1915. D. Santa Gonçalves também lecionou durante três anos, sucedeu-a D. Alaíde Dias dos Santos, que foi a primeira professora municipal do Norte, sendo nomeada em 1928 pelo município de Teófilo Otoni.

Após a criação do distrito em 1938, o Sr. Dr. Afonso Lages Teixeira, juiz de direito de Teófilo Otoni, mandou instalar o Cartório de Registro Civil, sendo o seu primeiro escrivão o Sr. Teodolino de Deus e Silva, que exerceu o cargo de 1939 a maio de 1951, desta data em diante foi sucedido pelo Sr. Jair Gonçalves da Cruz ate os nossos dias.

Questão Religiosa

O povoado vinha se servido ainda da primitiva igrejinha iniciada por Frei Samuel em junho de 1915 e concluída por Frei Feliciano em 1918. Devido a falta de segurança e de melhores condições para o exercício das funções religiosas o Frei Peregrino inicia a construção de uma nova capela que é inaugurada em 1940, entre os dias 06 e 28 de julho, com a primeira visita pastoral do Reverendíssimo Senhor Bispo, D. José de Haas.

Então em sua segunda visita ao Norte em 1946 o Bispo Dom José Haas, convocou uma reunião das principais pessoas, com a finalidade da construção de uma Matriz para o povoado na Praça do Mercado. Seria a terceira igreja a ser construída no Norte. Houve fervorosa receptividade à idéia do Prelado, sendo constituída uma comissão para isso.

No dia 26 de abril de 1949 iniciou o trabalho de abertura das cavas para o alicerce da igreja Matriz que durou cinco anos. À frente da obra portentosa aparecia o vigário, Frei Peregrino, que não se conteve somente com a igreja e a obra para a construção da casa paroquial é iniciada. No dia 04 de fevereiro de 1958, a sua construção foi iniciada e poucos anos depois foi brilhantemente concluída sendo somente ultrapassada pela de Águas Formosas.

Violência Política

O decênio de 1950 a 1960 foi trágico para o distrito do Norte pois havia inquietação e indisciplina generalizada. Neste ambiente de desordem Machacalis se emancipou politicamente, e em 15 de outubro de 1954 foi eleito o seu primeiro prefeito Sr Manoel José Vital que não dispunha de condições de desarmamento dos espíritos e tendo contendas políticas com o chefe do Partido Social Democrata Sr. Clovis Ribeiro, prestigiado chefe político do distrito de Bertópolis, o que ocasionou várias tentativas de assassinato.

Solidarizando-se com o pai aparecia o seu filho José Vital, que sempre se fazia acompanhar de Antonio Ferreira popular "Bigodinho", conhecido por crimes e emboscadas. No final de 1957 a situação agrava com a realização de um comício da UDN, onde uma comitiva parte de Bertópolis para participar, dentre os cavaleiros está o Sr. Clovis Ribeiro que é assassinado em uma tocaia próxima de Machacalis. A tensão perdurou no Governo de Manoel Vital, dentre elas a ocorrida no baile da oposição partidária do prefeito.

Um incidente entre os opositores Daniel Salineiro partidário do Prefeito, e Miguel Silveira dos Santos partidário da oposição que foi contornado, mas bajuladores levaram notícias deformadas ao Sr. Manoel Vital de que seu correligionário tinha sido barbaramente espancado. Seu filho vem no socorro do correligionário, e dispara alguns tiros em direção ao baile que são respondidos por Miguel Silveira ferindo de leve o filho do Prefeito.

Então Miguel Silveira afastou-se de Machacalis por algum tempo, mas ao retornar encontrou o mesmo ambiente de hostilidades e num domingo na festa de Cristo Rei foi assassinado em um bar quando tomava uma cerveja por João Vital, filho do prefeito. Então tomando as dores de Miguel dois sobrinhos e um filho de criação vão até a casa do prefeito à procura do criminoso onde iniciam um diálogo rancoroso com o mesmo, então o tiroteio começa morrendo o Sr. Manoel Vital e a Senhora Rita Vital sua esposa ficando ainda ferido o seu filho Waldemar Vital, nesse dia o povo de Machacalis presencia a perca de três vidas quase que ao mesmo tempo. Diante dos fatos o cargo de prefeito é assumido por 20 dias pelo presidente da Câmara Carolino Azevedo, até a chegada do vice-prefeito Olinto Moreira que se encontrava em viagem.

Pós Emancipação

Com o nome de Machacalis, em homenagem aos primitivos moradores, a tribo Maxacali. Sendo emancipado em 1953, foi designado um intendente para gerir seus destinos até as eleições, em 15 de outubro de 1954, sendo escolhido o

Sr. João da Costa Melo, que presidiu as eleições e deu posse ao eleito em 31 de janeiro do ano seguinte.

Nestas eleições a União Democrática Nacional (UDN) saiu vitoriosa, elegendo as principais autoridades do jovem município: Prefeito: Manoel José Vital, Vice-prefeito: Olinto Moreira Dias,

No ano de 1958, foram eleitos para prefeito: João da Costa Melo e Vice-prefeito: Aurélio Batista Silva.

Em 1962, foram eleitos para prefeito: Aurélio Batista Silva e Vice-prefeito: Antônio Dias dos Santos.

Em 1966, foi eleito prefeito como candidato único: Valdemar Dias Dantas e Vice-prefeito: Arnaldo Soares Otoni.

Formação administrativa

1938

O município tem sua história oficial a partir do antigo povoado denominado Norte, pertencendo a Águas Formosas, inicialmente, sendo seu distrito em 1938.

1953

Emancipou-se em 1953 pela lei estadual nº 1039, de 12-12-1953, que desmembrou do município de Águas Formosas o distrito de Norte.

1953

Pela lei estadual nº 1039, de 12-12-1953, o distrito de Bertópolis deixa de pertencer ao município Águas Formosas para ser anexado ao novo município de Machacalis (ex-distrito de Norte), que foi elevado à categoria de município por essa mesma lei.

1953

O distrito de Umburaninha foi criado pela Lei Estadual Nº 1.039 de 12/12/1953, desmembrados de Machacalis.

1962

Elevado à categoria de município com a denominação de Bertópolis, pela lei estadual nº 2764, de 30-12-1962, desmembrado de Machacalis. Constituído de 2 distritos: Bertópolis e Umburaninha, ambos desmembrados de Machacalis.

Bandeira e Brasão

Bandeiras da cidade de Machacalis, Minas Gerais, Brasil.
Brasão da cidade de Machacalis, Minas Gerais, Brasil.

Geografia

População

O IBGE estima que em 2021 a cidade tenha uma população estimada em 7.112 habitantes, com a densidade demográfica em 2021 sendo de 21.52 hab./km²

Aspectos Naturais

Clima: Tropical com Estação Seca

Índice Médio Pluviométrico Anual:

Hidrografia: Rios Alcobaça e Norte, fazendo parte da bacia do Itanhém.

Bioma: Mata Atlântica

Vegetação:

Fauna:

Relevo: Relevo Ondulado

Altitude: Máxima: 548 m na divisa com Fronteira dos Vales

Economia

Agropecuária: A maior parte dessas terras plantadas com capim, voltadas para criação de gado de corte e leite. A agricultura basicamente é formada por pequenos produtores onde cultivam lavouras de feijão e milho para subsistência.

Extrativismo:

Indústria:

Comércio e Serviços:

Impostômetro | Arrecadação de Impostos 2019 a 2022:

2019: 2020: 2021: 2022:
PIB per capita 14.685,44 R$ [2020]
Receitas de Fontes Externas - [2015]
IDHM 0,640 [2010]

Educação

Escolarização de 6 a 14 anos 96,7 % [2010]
IDEB – Anos iniciais do E.F 4,9 [2021]
IDEB – Anos finais do E.F 4,2 [2021]
Matrículas no E.F 859 matrículas [2021]
Matrículas no E. Médio 308 matrículas [2021]
Docentes no E.F 52 docentes [2021]
Docentes no E. Médio 22 docentes [2021]
Escolas: E.F 5 escolas [2021]
Escolas: E. Médio 1 escolas [2021]

Cultura

Datas comemorativas

1 de janeiro - Dia da Emancipação Política do Município

Relação de Bens Protegidos pelo Município, pela União ou pelo Estado

Violas de Minas (Proteção Estadual)
Folias de Minas (Proteção Estadual)

Bairros, Distritos e Comunidades Rurais

Distritos de Machacalis

Atualmente são apenas o distrito de Machacalis (distrito-sede).

Comunidades Rurais

Algumas delas são:

Mapa da Cidade de Machacalis

Tempo na Cidade de Machacalis

Distâncias

Distância Entre Machacalis e Belo Horizonte:

Distância Entre Machacalis e Teófilo Otoni:

Distância Entre Machacalis e Almenara:

Distância Entre Machacalis e Araçuaí:

Distância Entre Machacalis e Capelinha:

Distância Entre Machacalis e Diamantina:

Distância Entre Machacalis e Pedra Azul:

Fonte: IBGE

Fonte: Fundação João Pinheiro

Fonte: Site da Prefeitura de Machacalis

Fonte: As Minas Gerais