Home > Jequitinhonha > Boi de Janeiro: Turismo Em Jequitinhonha

Boi de Janeiro: Turismo Em Jequitinhonha

O Boi de Janeiro é uma das manifestações mais antigas de Jequitinhonha. Ele apresenta no período de 01 a 06 de janeiro pelas ruas da cidade, sempre à noite (a partir da 19h00min) e fica até a madrugada do dia seguinte. É caracterizado pela figura de um boi que é toureado por um vaqueiro com cantigas de domínio popular, que sempre que solicitado é repartido em forma de canção, tirando as partes nobres para os pobres e as menos nobres para os ricos, sempre usando nomes de pessoas conhecidas da cidade.

Boi de Janeiro: Turismo Em Jequitinhonha

Boi de Janeiro de Jequitinhonha

O Boi de Janeiro é uma das manifestações mais antigas de Jequitinhonha. Ele apresenta no período de 01 a 06 de janeiro pelas ruas da cidade, sempre à noite (a partir da 19h00min) e fica até a madrugada do dia seguinte. É caracterizado pela figura de um boi que é toureado por um vaqueiro com cantigas de domínio popular, que sempre que solicitado é repartido em forma de canção, tirando as partes nobres para os pobres e as menos nobres para os ricos, sempre usando nomes de pessoas conhecidas da cidade.

Sem uma data exata do seu surgimento, o Boi de Janeira da cidade de Jequitinhonha existe há mais de um século (segundo informações ele surgiu a partir de 1910) e traz contigo, diferentes histórias e cantigas, todas elas do domínio público.

Segundo relatos, ele surgiu através da iniciativa de um homem chamado Olinto Barretão. Após o seu falecimento, a manifestação passou para o Sr. Fostino D’Luca, e sempre que alguém parava, outro assumia. Assim, o Boi passou por Nelça de Joal, Joaquim Tatiaia, Heraldo Barbeiro, Geraldo Capiau, Alta do Boi, Tião carreiro, Leonardo do São José, Chico Canoeiro, Santos Balseiro, entre outros.

Ficou mais de meia década sem sair, sendo reativado em 2008 sob a coordenação de Maria Amélia Guimarães, mãe do prefeito da época, Antonio Bernadino Guimarães Murta - Dino (1997/2000), tendo o apoio de Santos Gonçalves que repassou para os demais as cantigas e assumiu o posto de vaqueiro do Boi, ficando a nova formação até o ano de 2000.

Novamente o boi ficou um período parado, sendo reativado no ano de 2002, por Elza Pereira de Andrade, mais conhecida como “Dona Elza Có, sendo apelidado Boi Estrela. Há dois anos o Grupo do Carrapicho criou o Boi de Janeiro Carrapicho, sendo os coordenadores Santos Gonçalves e Valmir Rodrigues (Bião).

No 8° Encontro de bois em 2021 estavam presentes o Boi Relâmpago, Boi Bandido, Boi Mirim e Estrela Cometa.